segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

1000 Visitas!!!

Em 4 semanas, 1000 visitas, obrigada!!!

Feliz Ano Novo 2013

Pois é...está quase o final do ano 2012. Sinceramente estava a ver que nunca mais acabava, pra mim o ano 2012 não foi lá muito bom por isso espero que 2013 seja muito melhor, pra mim e pra toda a gente. 

Desejo-vos um ano fantástico, cheio de coisas novas e oportunidades para realizarem os vossos objetivos!!


E como não podia perder a oportunidade de fazer mais docinhos para a ocasião, aqui vai a minha ementa para o Ano Novo:

Torta de Laranja

Bolo de Banana com Calda de Chocolate

Trifle de ChocoBanana e Bolacha Maria

Tarte de Maçã


Pronto!! Prometo que depois publico as receitas destes doces... Bom Ano!!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Boutique Baking

Este livro foi me trazido pelo Pai Natal e é lindo...

Boutique Baking Delectable Cakes, Cupcakes And Teatime Treats by Peggy Porschen.

Baking Boutique tem uma gama incomparável de receitas que combinam o tradicional com chique e simples toques finais. Ele captura a essência de Peggy, habilidade técnica e uso inspirado de cor ao mesmo tempo, garantir que cada bolo é tanto possível de fazer e delicioso para comer.







O factor mais atraente, é o conjunto de ideias que são mostrados, certamente há alguns projetos aqui que eu provavelmente não conseguiria repetir, mas não me vai impedir de tentar, mas há uma abundância de sugestões mais simples também tais como donuts, biscoitos e bolos Battenburg...e ter uma referência como esta, dá a oportunidade de apresentá-los de uma forma muito atraente.

Adorei este livro... 5 estrelas!!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Bolo de Laranja com Calda de Laranja


Receita Bolo de Laranja
 

Ingredientes:
  • 2 chav. de açúcar
  • 2 chav. de farinha
  • ½ chav. de óleo
  • 4 ovos
  • 1 colh. sopa de fermento
  • Sumo e raspas de 1 laranja grande

Receita Calda de Laranja

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180ºC, unte e peneire uma forma. 


Num recipiente colocar o açúcar e as gemas, bater até obter um creme fofo e esbranquiçado. 

Adicionar o óleo, o sumo e a raspa da laranja, bater até estar tudo bem misturado. 

Com uma colher de pau junte a farinha peneirada com o fermento, também peneirado, e vá misturando cuidadosamente. 

Bata as claras em castelo e junte à massa, envolvendo bem.
 

Deite na forma e leve ao forno a cozer durante 40 minutos. 

Quando estiver pronto, retire do forno e deixe arrefecer dentro da forma durante 10 minutos.

Desenforme e verta com cuidado a calda por cima.

Decore com raspas de laranja. 
 




sábado, 22 de dezembro de 2012

Especial Doces de Natal - Tronco de Natal



Receita Tronco de Natal 

Ingredientes: 
Para a massa (pão de ló):
  • 1 chav. de farinha
  • 1 chav. de açúcar
  • 4 ovos
  • 1 colh. sopa de essência de baunilha 
Para a calda:
  • 125ml de água
  • 100gr de açúcar
  • Um pouco de Licor (opcional) 
Para o recheio (doce de ovos):
  • 150g de açúcar
  • 150ml de água
  • 6 gemas
  • Casca de um limão 
Para o recheio e cobertura (ganache de chocolate):
  • 2 tabletes de chocolate de culinária
  • 2 pacotes de natas frescas
  • 1 colh. sopa de manteiga 
Para a decoração:
  • Açúcar em pó q.b.
  • Raspas de chocolate q.b.
  • azevinhos

Preparação:
Massa:
Unte uma forma quadrada e forre com papel vegetal também untado. Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Separe as gemas das claras e bata as claras em castelo. 

Junte às claras batidas as gemas, o açúcar e a essência de baunilha e bata mais um pouco. 

Com a colher de pau envolva cuidadosamente a farinha peneirada.

Verta a massa para a forma e leve a cozer durante 20 min. Retire e deixe arrefecer. 

Calda:
Numa panela ponha a água e o açúcar. 

Deixe ferver por 2 minuto, retire do lume, deixe arrefecer e adicione um pouco de licor ou outra bebida alcoólica ao seu gosto. Reserve. 

Doce de Ovos:
Levar ao lume a água com o açúcar e uma casca de limão, deixar fazer calda. 

Depois deixar arrefecer um pouco. 

Mexer bem as gemas e adicionar a estas a calda pouco a pouco. 

Levar novamente ao lume, mexendo sempre até engrossar um pouco. Reserve 

Ganache de Chocolate:
Coloque os pedaços de chocolate numa tigela grande. 

Aqueça as natas em lume médio alto até começar a ferver. 

Retire do fogo e imediatamente despeje as natas sobre o chocolate, adicione a manteiga e mexa até ficar completamente misturado e brilhante. 

Deixar arrefecer completamente e bater bem na batedeira até ficar cobertura. 

Montagem:
Coloque o bolo por cima de um pano grande, molhe o bolo um pouco com a calda. Deixe absorver.

Espalhe o doce de ovos por cima. Espalhe outra camada, mas de ganache, por cima do doce de ovos. 

Enrole a torta com a ajuda do pano. 

Apare as pontas da torta, corte uma das pontas na diagonal e disponha ao lado da torta, cubra com a restante ganache de chocolate. 

Faça efeitos de madeira com um garfo na ganache.
 

Polvilhe com o açúcar em pó, decore com raspas de chocolate e o azevinho.


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Especial Doces de Natal - Aletria

Aletria, um doce tradicional português, é uma massa em fios finos que é utilizada para fazer sopas e doces. Existe 2 variedades de aletria: a aletria com ovos e a aletria dourada. Aletria com ovos é  feita com aletria e ovos. É muito servida no Natal nas regiões do norte de Portugal como alternativa ao arroz-doce. A Aletria dourada feita com aletria, leite condensado e ovos.


Receita Aletria (receita original SaborIntenso)
 

Ingredientes:
  • 250g de aletria
  • 1800 ml de leite
  • 450g de açúcar
  • 1 pau de canela
  • 2 casquinhas de limão
  • 50g de manteiga com sal
  • 4 gemas de ovo
  • Canela em pó q.b.

Preparação:
Numa panela, leve ao lume o leite deixando um pouco para misturar com as gemas.
 

Junte as casquinhas de limão, o pau de canela, a manteiga e deixe ferver.
 

Logo que comece a ferver, junte a aletria, partindo antecipadamente os novelos com as mãos para que a aletria vá solta.
 

Depois de começar a ferver, deixe cozer a aletria durante 3 minutos.
 

Depois da aletria cozida, junte o açúcar e deixe cozinhar 5 minutos.
 

Entretanto, misture muito bem as gemas com o restante leite.
 

Passado os 5 minutos, junte as gemas à aletria e deixe cozer as gemas sem deixar ferver.
 

Antes que comece a ferver, apague o lume.
 

Depois da casca de limão e o pau de canela retirados, sirva num prato grande e fundo ou em tacinhas.
 

Depois de frio, polvilhe com canela.

Especial Doces de Natal - Arroz Doce


Receita Arroz Doce

Ingredientes:
  • 1 chav. de arroz
  • 1 ½ chav. de água
  • 1 ½ chav. de açúcar
  • 1lt. de leite  
  • casca de 1 limão
  • 2 saquetas de pudim mandarim
  • Canela q.b. 

Preparação:
Coza o arroz na água.


Aqueça o litro de leite com a casca e o açúcar e mexa. Retire um pouco deste leite e reserve.

Escorra o arroz e junte ao leite e deixe ferver uns 5/10 minutos. 

Adicione ao leite reservado as duas saquetas de pudim mandarim e triture com a varinha mágica e junte ao arroz.

Mexa bem e apague o lume quando o arroz doce estiver a ficar muito preso.

Disponha em tacinhas ou numa taça rasa. 

Por fim deixe arrefecer e coloque canela a gosto.

Especial Doces de Natal - Coscorões


Receita Coscorões

Ingredientes:
  • 2 chav. de farinha
  • 3 ovos
  • Raspa e sumo de laranja
  • ¼ chav. de açúcar
  • ¼ chav. de manteiga
  • ¼ chav. de aguardente (opcional)
  • Água e sal q.b.

Preparação:
Misturar bem o açúcar com a manteiga. 


Adicionar os ovos, a aguardente, a farinha e o sal e amassar muito bem. 

Adicionar água se necessário e amassar até obter uma massa lisa e elástica. 

Deixar repousar durante, pelo menos, uma hora.
 

Tender retângulos com o auxílio do rolo, numa espessura de 2 milímetros. 

Fazer 2 ou 3 cortes no meio. Fritar em óleo e passar por açúcar e canela.

Especial Doces de Natal - Azevias de Grão e Amêndoa


Receita Azevias de Grão e Amêndoa

Ingredientes:
Para a massa
  • 1 ¼ chav. de farinha
  • 2 ovos
  • 9 colh. sopa de Leite
  • 9 colh. sopa de óleo
  • 1 colh. sopa de fermento em pó
  • Açúcar em pó para polvilhar 
  • Óleo ou azeite para fritar
Para o recheio
  • 1 lata grande de feijão branco
  • 1 chav. de açúcar
  • 100ml de água
  • casca de limão
  • 6 gemas
  • 150g de amêndoa moída

Preparação:
Massa:

Deitar a farinha numa tigela, juntar o fermento e uma pitada de sal e misturar estes ingredientes.
 

Juntar os ovos, o leite e o óleo. Misturar tudo muito bem.
 

Tapar o preparado com um pano e deixar a massa repousar durante 1 hora.
 

Recheio: 
Escorrer o feijão. Levar ao lume um tacho com o açúcar, a água e a casca do limão. Deixar ferver durante 10 minutos.
 

Passar o feijão pelo passe-vite, para obter um puré sem a casca. Juntar o puré ao açúcar e mexer;
 

Juntar as gemas e a amêndoa e mexer até ferver. Retirar do lume e deixar arrefecer o preparado;
 

Acabamento: 
Estender a massa em cima da mesa polvilhada de farinha.
 

Deve deixar-se a massa com uma espessura fina.
 

Coloque pequenas quantidades da mistura de feijão em cima da massa e cobri-las com massa.
 

Cortar cada porção (azevia) do passo anterior como se fossem rissóis.
 

Levar a fritar cada azevia em óleo bem quente até ficar douradinha.
 

Quando frita, retirar cada azevia e deixá-la escorrer.
 

Polvilhar com açúcar em pó e servir, morno ou frio.

Especial Doces de Natal - Fatias Douradas

Este doce tradicional pode ser chamado de três formas: Rabanadas, Fatias Douradas ou Fatias Paridas. É uma receita tradicional de natal em Portugal, na região do norte chamam-lhes rabanadas e na região sul é mais comum serem chamadas de Fatias douradas ou fatias paridas.
O nome Fatia Parida trás história consigo. Estas fatias foram chamadas assim porque, em tempos passados, nos meios rurais e mais pobres, estas fatias eram dadas às mulheres que acabavam de ser mães, pois acreditava-se que este alimento rico em ovo, açúcar, leite e pão alimentava bem a mãe e puxava o leite para alimentar o bebé. Por este motivo foram chamadas de fatias-de-parida.


Receita Fatias Douradas
 

Ingredientes: 
  • 1 pão grande duro
  • ovos q.b.
  • leite q.b
  • 1 pau de canela 
  • 1 pedaço de casca de limão
  • 1 colh. sopa de acúcar
  • açúcar e canela em pó q.b.

Preparação: 

Cortar pão grande duro em fatias de espessura média (opcional pode-se comprar pão de forma de padaria, não daquele embalado).
 

Num tacho levar ao lume leite, uma casca de limão, um pau de canela e uma colher de sopa de açúcar.

Quando levantar fervura apagar imediatamente o lume e deixar arrefecer um pouco.

Mergulhar rapidamente as fatias de pão no leite, colocando-as a escorrer sobre uma rede. 


De seguida passá-las por ovo batido, embebendo bem e levá-las a fritar em óleo bem quente.

Retirar, escorrer sobre papel absorvente e enquanto quentes, polvilhar generosamente
 com açúcar e canela.

Especial Doces de Natal - Filhoses de Laranja

Pois é faltam 3 dias para o Natal, por isso resolvi partilhar umas quantas receitas de Natal. Aqui vai...


Receita Filhoses de Laranja

Ingredientes: 
  • 1 ½ chav. de farinha 
  • 25 g de fermento de padeiro 
  • 1 chav de leite morno 
  • ½ chav. de açúcar 
  • 3 ovos 
  • raspas de 2 laranjas 
  • 2 colh. sopa de manteiga derretida 
  • Óleo para fritar 
  • Açúcar e canela para polvilhar 
  • Uma pitada de sal

Preparação: 
Coloque a farinha numa tigela e deite o fermento previamente dissolvido em leite morno, as raspas de laranja, o açúcar, os ovos, a manteiga e o sal. 

Amasse tudo, tape com uma pano para abafar e deixe levedar até crescer quase o dobro.
 

Em óleo não muito quente, frite então colheradas de massa e vá virando para as filhoses fritarem por igual. 

Quando estiverem douradinhas, retire as filhoses, escorra-as muito bem em papel absorvente e polvilhe-as com açúcar e canela.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

O Grande Livro de Pastelaria


Pois é desta vez resolvi falar sobre livros. E hoje vai ser sobre O Grande Livro de Pastelaria. Este livrinho que até é baratinho, tem montes de receitas muito boas.

O Grande Livro da Pastelaria contém todas as receitas de que precisa para desfrutar da confeção de alguns clássicos e também de imensas ideias novas. Encontrará receitas para uma enorme variedade de bolos, biscoitos e pastéis, incluindo luxuosos gâteaux, tentadores bolos de tabuleiro, muffins de fazer crescer água na boca, quiches e tartes irresistíveis, pães apetitosos e muitas outras delícias saborosas, tanto doces como salgadas. 

Cada receita é ilustrada com uma inspiradora fotografia a cores do resultado final para provocar as suas papilas gustativas muito antes de começar a cozinhar. Tudo o que necessita é seguir as instruções simples para obter sempre resultados perfeitos. 

Se for um principiante, verá que a extensa introdução está repleta de informações valiosas para uma boa iniciação, para não falar de algumas dicas úteis que o ajudarão pelo caminho. 







E aqui está uma breve visualização do livro... Gosto imenso deste livro... e tem um preço bastante acessível, o único problema é que está esgotado em TODO lado... (este livro aqui demonstrado é emprestado...se alguém souber onde posso arranjar um por favor digam-me!)

Thumbs up!!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Pudim de Ovos


Receita Pudim de Ovos

Ingredientes:
  • 10 ovos
  • 1 chav. de açúcar
  • 2 chav. de leite
Para o caramelo:
  • 1 chav. de açúcar
  • ½ chav. de água
 
Preparação: 
Caramelo: 
Numa panela pequena coloque o açúcar e a água mexa um pouco. 

Ligue o lume médio e deixe cozinhar sem mexer até o açúcar ficar dourado (cor de caramelo). 

Tire do lume e verta para uma forma (de preferência com tampa) e cubra os lados da forma com o caramelo. Reserve.

Pudim: 

Num recipiente coloque os ovos, o açúcar e o leite e bata durante 1 minuto.

Verta o pudim para a forma com o caramelo cuidadosamente. 


Coloque a forma dentro de um recipiente com água suficiente para chegar ao nível do pudim e leve ao forno durante 1 hora a uma temperatura de 150ºC.

Quando estiver pronto deixe arrefecer completamente para poder desenformar.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Dicas para um Pudim Perfeito

imagem ilustrativa

Existem 2 tipos de pudins, os com buraquinhos e os lisinhos. Há quem prefira tanto um como o outro. Mas qual será o pudim perfeito?

imagem ilustrativa

imagem ilustrativa

Para chegar a esse resultado é preciso entender como se processam esses fenómenos (os buraquinhos ou a falta deles). 

Aeração dos ovos
  • O tecido celular do ovo é constituído de uma série de bolhinhas achatadas e elásticas, que têm a propriedade de absorver e reter ar (especialmente as claras). Quando fazemos o movimento de "bater" ovos, enchemos suas células de ar.  
O que a maioria das pessoas faz é o caminho do meio: bater todos os ingredientes no liquidificador (isso gera um pudim nem tão fofo, nem tão cremoso, com alguns furinhos).

Coagulação da gema 
  • Gemas são muito suscetíveis ao calor, apresentando uma textura variada em diferentes temperaturas. Ao contrário da clara, que coagula a aproximadamente 100ºC, a gema começa a cozinhar a partir dos 55ºC. Se aquecidas lentamente, desenvolverão textura cremosa e homogénea. Se fervidas rapidamente, apresentarão uma textura gelatinosa e granulada, lembrando visualmente o aspecto de iogurte talhado (embora a gema "talhada" não esteja estragada).
Manter a temperatura de cozimento do pudim por volta dos 60ºC é meio caminho andado para ter um pudim lisinho e cremoso. Assim, um pudim sem buraquinhos sempre deve ser cozido em banho-maria. Isso porque a água nunca passará dos 100ºC (atingindo essa temperatura ela se transforma em vapor). Com a água a ferver, o interior do pudim estará a cerca de 60ºC, temperatura ideal para que as gemas cozinhem sem talhar.

Como o impacto das altas temperaturas é indesejável, não pré-aqueça o forno ou ferva a água do banho-maria para cozer o pudim. Neste caso, o recomendável é justamente o contrário!

Use o forno sempre em baixa temperatura (geralmente, a temperatura mínima dos fornos domésticos é de 180ºC se seu tiver uma temperatura menor, use-a).

Também ajuda cobrir o pudim com papel manteiga ou alumínio.

Pôr um pano entre a forma do banho-maria e a do pudim, para que a forma do pudim não entre em contacto direto com a forma que está sobre a grelha (como geralmente as formas são feitas de material condutor, chegarão rapidamente a uns 200ºC. O pano apenas seguirá a temperatura da água).

Para um resultado infalível, quando a água do seu banho-maria começar a ferver, vá acrescentando um pouco de água de fria, evitando o borbulhamento até final do cozimento.

Outras dicas:
Lembre-se de nivelar o nível de água do banho-maria com o do pudim. Uma das razões porque geralmente os pudins têm buraquinhos concentrados na base é porque o banho-maria não alcançou a forma até o fim.

Quanto mais cuidados se tomar para que a temperatura de cozimento do pudim seja moderada, mais demorará para ficar pronto.

Ações contrárias precipitam talhar as gemas, deixando o pudim mais furadinho, mas também mais murcho, com uma textura mais gelatinosa. Por isso, para quem gosta dos buraquinhos, é preferível recorrer à aeração dos ovos, do que ao recurso de talhar as gemas.

Outros dois recursos utilizados para alterar a textura do pudim são: adicionar um pouco de sumo de limão aos ingredientes – dependendo da quantidade de sumo e do estado do leite, pode colaborar para que o leite talhe, potencializando subtilmente o efeito dos buraquinhos; ou adicionar uma colher de sopa de amido de milho aos ingredientes. O amido de milho misturado com líquido ganha uma consistência de "cola", que diminui a porosidade das paredes dos ovos ao ar, dificultando a aeração.

Não queime o caramelo!! Para fazer um caramelo sem queimar, mantenha sempre um recipiente grande com água gelada próximo ao fogão. Quando atingir o ponto desejado, mergulhe o fundo da panela de caramelo na água fria para interromper o cozimento.

Finalmente quando retirar o pudim do forno deixar arrefecer completamente (para que o pudim saia inteiro da forma, é importante que esteja bem frio).

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Forma Bundt


Um forma Bundt é uma forma redonda que tem um furo no meio, em que os bolos que são feitos de dentro destas são chamados de Bundt cake (bolo Bundt).

O nome "bundt" é derivado do Bundkuchen alemão (que é chamado no sul da Alemanha e Áustria por Gugelhupf, e na Suíça por Gugelhopf), que é um bolo em formato de anel para a hora do chá.

As formas do velho mundo, com pregas e os lados estriados, feitas de cerâmica delicadas ou ferro fundido, eram muito pesadas ​​e, portanto, difíceis de usar . H. David Dalquist (fundador da Nordic Ware) modificou alguns designs de formas escandinavas e fez a sua forma bundt de alumínio.

As formas não eram populares com os pasteleiros no início, mas depois que o Tunnel of Fudge Cake, que foi feito numa forma bundt, ganhou o 2º lugar na Pillsbury Bake-Off 1966, as vendas da forma dispararam e agora é uma dos melhores vendas de formas na América do Norte, com mais de 60 milhões de unidades vendidas.
 

É fácil ver porquê, os bolos são muito elegantes e, ao contrário de bolos em camadas, são impressionantes sem precisarem de coberturas. Há montes de receitas recomendando formas bundt, porque outra forma não faz o efeito melhor que esta.
 

Atualmente existem em alumínio, em silicone e em várias formas e feitios.


Os Bundt Cakes.




sábado, 15 de dezembro de 2012

Cream of Tartar (Cremor Tártaro)

imagem ilustrativa

O Cremor Tártaro (bitartarato de potássio) também chamado "ácido tartárico" é um sal ácido que resulta da fabricação do vinho, é chamado em algumas regiões de "borra" que depois de tratado dá origem ao pó fino e branco chamado de Cremor Tártaro (cream of tartar, em inglês).

É muito utilizado em suspiros, bolos caramelizados ou confeitados, maçã do amor, geleias, chocolates, cocadas, etc. Por ter leve ação fermentativa, também pode auxiliar na maciez de bolos, tortas, glacês, cremes, caldas doces, biscoitos, etc.

O bitartarato de potássio é também usado em certos alimentos para:

  • Estabilizar claras de ovos, aumentando sua tolerância ao calor e seu volume. (pode-se substituir por 1 colher chá sumo de limão ou vinagre e umas pedras de sal);
  • Prevenir que xaropes de açúcar cristalizem (usar limão e/ou pectina);
  • Reduzir a descoloração de hortaliças em que passem por cozimento em água fervente (substituir por 1 colher chá bicarbonato de sódio ou fermento para bolos);
  • Em combinação com o bicarbonato de sódio, pode ser usado como fermento químico  (substituí o fermento para bolos);
  • Usar como substituto do cloreto de sódio (substitutos de sal (cozinha) isentos de sódio).
Ao contrário do fermento, o cremor tártaro não perde suas propriedades com o tempo, e pode ser guardado indefinidamente (o que é bom, já que ele é utilizado em quantidades mínimas).
 
Atualmente já existe à venda nas grandes superfícies.

Baking Soda (Bicarbonato de Sódio)

imagem ilustrativa

O Bicarbonato de Sódio é um sólido cristalino de cor branca, solúvel em água, com um sabor ligeiramente alcalino. 

É útil em quase tudo: 
  • Pode ser usado uma pitada em cima da pasta de dentes, ajuda a branquear;
  • Como anti-ácido para aliviar dor de estômago;
  • Remoção de odores do frigorífico e do congelador;
  • Sujeira ou manchas no aço;
  • Limpeza de carpetes;
  • Etc.    

Mas é muito utilizado nas receitas de culinária como agente levedante, auxiliando no crescimento das massas de pães, bolos e biscoitos durante o cozimento no forno, em especial quando misturado ao ácido tartárico, e na produção de bebidas gasosas (refrigerantes).

Como o fermento ele serve para fazer o bolo crescer, quimicamente não faz sentido ele ser adicionado junto com o fermento (apesar de algumas receitas o pedirem) mas serve principalmente para neutralizar alguns ácidos na receita (vinagre, iogurte, chocolate, etc) e para adicionar maciez. 

Serve também para realçar a cor do bolo principalmente em bolos de chocolate.

Mas para o bolo crescer melhor prefira sempre o fermento. 

O fermento em pó é uma mistura de bicarbonato de sódio e cremor tártaro ou seja uma ligação química entre uma base e um ácido, numa mistura com líquido, a base e o ácido se ligam para criar bolhas minúsculas de dióxido de carbono, são essas bolhas que fazem a massa crescer, o bicarbonato de sódio é só uma base, ele também liberta dióxido de carbono mas estas bolhas não ajudam no crescimento como o fermento.

Dicas para um Bolo Perfeito

 imagem ilustrativa

1 - Preparação:
 

Use sempre produtos de boa qualidade. Eles fazem toda diferença no seu bolo. 

Manteiga não é margarina. Use sempre manteiga (a margarina tem origem vegetal, passa por um processo de hidrogenação que converte uma parte das gorduras insaturadas em trans-saturadas (gordura trans)).
 
Retire os ingredientes (ovos,leite, iogurte e manteiga) com antecedência do frigorífico para ficarem à temperatura ambiente (as claras crescem mais firmes, estruturadas e a manteiga adquire textura cremosa, o que facilita a sua incorporação aos outros ingredientes e deixa a massa aveludada).
 

Coloque sobre a mesa todos os utensílios e os ingredientes necessários já pesados e medidos como indica na receita (além de poupar tempo, a organização ajuda a que tudo corra da melhor forma).

Unte e enfarinhe a forma que vai usar (cada receita pede um tamanho de forma, atenção ao escolher, verifique a quantidade de ingredientes).


Pré-aqueça o forno (os bolos crescem mais se forem cozidos logo após o preparo, ativa o fermento e mantém o ar da massa, a farinha precisa do calor para reagir com os outros ingredientes e aprisionar o ar, dando leveza à massa). 

2 - Massa:
 

Peneire sempre os ingredientes secos (farinha, fermento, chocolate em pó, sal, açúcar de confeiteiro,etc) para os tornar mais leves e não ficar com bolinhas na massa.
 

Para conseguir um bolo bem fofinho, substitua a manteiga pela mesma quantidade de óleo.
 

Parta os ovos em separado (evita, caso algum deles estar estragado, que estrague o bolo inteiro).
 

Para a massa não talhar os ingredientes têm que estar à temperatura ambiente, os ovos não podem ser acrescentados e batidos muito rápido, a manteiga e o açúcar precisam de serem batidos o tempo suficiente (2 minutos aprox.) antes dos ovos serem acrescentados.
 

Separe as claras das gemas e adicione as claras batidas em castelo no final (as claras vão deixar o bolo mais areado, mais fofo) e misture-as delicadamente com uma colher de pau ou uma espátula de silicone (se a massa estiver muito densa misture um terço das claras primeiro e depois o restante com cuidado).

Respeite a ordem dos ingredientes (um bolo é o resultado de uma série de reações químicas que precisam de ordem para funcionar bem).
 

Algumas receitas pedem leite ou iogurte, eles servem pra deixar o bolo mais húmido.

Quando a receita pedir cacau não troque por chocolate em pó (tem mais açúcar logo vai modificar o bolo).

Ao acrescentar chocolate em pó em uma receita de bolo reduza a quantidade de farinha de trigo proporcionalmente (se acrescentar 50 g de chocolate em pó diminua 50 g de farinha).

É importante incorporar a farinha de trigo com cuidado, mexendo a massa de baixo para cima com uma colher de pau ou uma espátula de silicone.
 

Adicione o fermento em pó só no final.
 

Ao incorporar ingredientes em pedaços como frutas cristalizadas, castanhas, passas e chocolate polvilhe-os com farinha (isso faz com que se espalhem de forma mais uniforme pelo bolo e não se concentrem no fundo).
 

3 - Forno

Deite a massa só até 2/3 da altura da forma para que o bolo possa crescer sem transbordar.

A forma deve ser colocada sobre a grelha do forno para haver uma melhor circulação do calor.
 

A temperatura ideal do forno para um bolo comum é normalmente de 180°C, ou seja, forno médio (atenção, quanto mais densa e pesada for a massa do bolo, menor deve ser a temperatura do forno para que ele coza bem por dentro e não queime por fora).

Não abra o forno durante o crescimento do bolo (espere pelo menos 20 minutos).
 

Se a superfície do bolo começar a ficar escura antes de terminar o tempo de cozedura, cubra-o com uma folha de alumínio.
 

Quando abrir a porta do forno olhe para o bolo: se ele "mexer" como uma gelatina, é porque está cru por dentro. Feche a porta rapidamente.

Terminando o tempo da cozedura indicado nas receitas, espete um palito no centro para verificar a cozedura; se sair seco a massa está cozida, se o palito sair húmido, a massa precisa de cozer mais algum tempo.
 

Depois de retirar a forma do forno, deixe repousar durante 20/30 minutos antes de desenformar (enquanto ele está quente sua estrutura é frágil e quebradiça e pode desmoronar).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...